Rock in Rio – Calor forte, som pesado e público jovem
Fabiane Pereira

25.09.2015

Parece que Roberto Medina, idealizador e diretor do Rock in Rio, preferiu realizar esta edição do festival em setembro – e não em janeiro, como em 2001 –, por causa das temperaturas amenas da primavera. Ou seja, nem ele nem ninguém esperava ver os termômetros baterem 40 graus, com sensação térmica de quase 45, em plena estação das flores. Mas a realidade é que estamos inseridos numa fornalha e, no quarto dia de festival, a Cidade do Rock tinha um sol pra cada um.

 

Abrindo os trabalhos no Sunset, as bandas paulistanas JohnWayne e Project 46 dividiram o palco por uma hora. Na sequência, pela primeira vez no Rio, a banda americana Halestorm, seguida pela também americana Lamb of God. Acordes altos de guitarra e vozeirões deram o tom dos shows.

 

No Palco Mundo, quem abriu a noite foi o grupo CPM22, que em 2015 está completando 20 anos de estrada. Com um setlist repleto de hits, o momento mais emocionante do show foi quando o vocalista Badauí começou a cantar "Dias atrás" acompanhado pelo público, que a esta hora já lotava o espaço, em sua maioria jovens de preto e cabelos coloridos.

 

Encerrando as apresentações do Sunset, o ótimo show da banda Deftones, que tem à frente o magnético vocalista Chico Moreno e o peso da guitarra de Stephen Carpenter. O público, claro, fez o circle pit durante a música Rocket skates. Sem dúvida, um dos shows 'quero mais' do festival.

 

Uma superdica é se refrescar desse calor surreal no estande do Submarino montado especialmente para a Cidade do Rock: ar-condicionado bombante, batalhas musicais, brindes e muita diversão para todas as idades. Vale dar uma 'arejada' entre um show e outro.

 

No meio da noite, no palco Mundo, o show da Hollywood Vampires divertia a galera. Com Alice Cooper no vocal e o ator Johnny Depp na guitarra, a mulherada berrou, se descabelou e mal ouviu o que os músicos tocavam. Mas acho que a intenção, nesse caso, nem era ouvi-los (rs). Logo após a apresentação da banda do galã hollywoodiano, foi a vez da hipnose coletiva do Queens of the Stone Age – que só pelo medley de "Singing in the rain" + tema do filme Laranja Mecânica para introduzir "Millionaire" já valeu. Showzaaaaço!

 

Eis que a atração mais esperada da noite, System of a Down, sobe ao palco Mundo e leva os fãs à loucura. Apesar do último disco ter sido lançado há dez anos, a banda continua afiadíssima. No show de ontem, Serj engrenou um hit atrás do outro. Uma catarse.

 

E o final de semana está só começando... Hoje, amanhã e depois, muitos shows ainda vão na cidade do rock. Beba bastante água pra aguentar até o fim.

Tudo a ver com

Conheça a loja online oficial do Rock in Rio