Prestenção e os ouvidos para essa turma em 2016
Fabiane Pereira

01.01.2016

Vale ficar com os ouvidos bem ligados no rap do Rael em 2016.

Em 2015, quem acompanha a produção musical contemporânea já ouviu falar deles. Mas em 2016, alguns artistas que já vêm desenvolvendo bons trabalhos devem se destacar e, acredito, ter suas carreiras consolidadas, atraindo mais público e espaço midiático. Difícil apostar em poucos nomes em um período tão fértil desta nova safra musical. Bandas como Pietá e Boogarins – esta última já projetada internacionalmente – devem conquistar ainda mais adeptos. Já os trabalhos da cantora carioca Lila, da banda paulistana O Terno, do rapper Rael, da Banda Tereza e de Laura Lavieri – a doce voz que acompanha Marcelo Jeneci em seus shows, desde a estreia, em 2010 – são fortes candidatos a estarem nas listinhas dos melhores álbuns de 2016 (saca a projeção? rs).

 

Futurologia não é minha praia, mas o EP lançado pela Lila em 2015 já mostra que a cantora é bastante eclética e talentosa. Ela reuniu uma boa turma para embalar seu primeiro trabalho solo. Na produção artística, Pedro Garcia, do Queremos. Assinando a produção musical, o multi-instrumentista Lucas Vasconcellos (Letuce), que também é coautor de duas faixas do EP que tem seis canções no total. Compositores como Domenico Lancellotti, Alberto Continentino, João Bernardo, André Carvalho, Miguel Jorge, Piero Grandi e Pedro Rocha também fazem parte deste trabalho. E a própria Lila se arrisca na composição, assinando duas parcerias. Vale a audição e vale ainda mais prestar atenção nesta moça (que ainda é musa carnavalesca) >>> conheça o trabalho dela aqui.

 

O Terno é formado pelo power trio Tim Bernardes (músico sensacional que assume o vocal da banda), Guilherme d'Almeida (baixo) e Biel Basile (bateria). Com suas canções rock'n'roll-pop-experimental, os meninos chamam atenção por sua estética autoral, mesclando com originalidade influências e timbres sessentistas e atuais que dão cor às interessantes composições. Em 2014, eles lançaram seu segundo disco (ótimo!) e ganharam as principais páginas dos cadernos de cultura do país. Este ano, eles virão com o terceiro álbum, que já está em fase de pré-produção e tem tudo para conquistar os dials de todo país. Ouçam esta versão do Tim pra canção Eu Confesso, que faz parte deste discaço lançado há dois anos:

 

 

Laura Lavieri ficou conhecida do público por ser a voz feminina das canções do cantor e compositor Marcelo Jeneci em seus dois discos, e por acompanhá-lo em suas turnês. Em 2016, a cantora paulista lançará seu primeiro disco solo, e por tudo que já a vimos fazer, tem tudo pra ser um discaço. Num show em SP há poucos meses, ela fez uma releitura deste clássico do pagode romântico e o público pediu bis.

 

Dá uma olhada:

 

Conheci o rapper paulistano Rael em 2013 e desde então acompanho de perto o trabalho deste artista que ano passado lançou o ótimo EP Diversoficando, com a malemolente "Envolvidão". Rael cresceu na periferia de São Paulo, ouvindo o pai tocar chorinho e os vinis da mãe, que iam de Luiz Gonzaga a Jackson do Pandeiro, passando por Alcione e Agepê. Como muitos artistas da periferia paulistana, ele também foi influenciado pelas letras e rimas dos Racionais MC's e Mano Brown. O artista, que lotou o Circo Voador no ano passado, lança este ano seu novo trabalho com produção de Daniel Ganjaman (também produtor dos dois discaços do Criolo). Consciente de seu papel na sociedade e do poder que o microfone lhe dá, Rael costuma dizer que “passamos daquela fase mudança de era pra fase era de mudança”. Alguém aí duvida que o rapper lançará um superdisco?

 

Meu espaço está acabando, mas antes ainda quero indicar os cariocas da Banda Tereza, que lançaram em 2015 o disco Pra Onde a Gente Vai. É pop rock da melhor qualidade! Ouvidos atentos pro som deles em 2016.

O que não falta neste Brasilzão de meu Deus é boa música. Um 2016 de muito amor & música pra todos nós!

Tudo a ver com

MPB é no Submarino