O que você “deixou de ser” quando cresceu?
por Fabiane Pereira

04.11.2016

Morador de rua

A internet me surpreende todos os dias com links primorosos e bem escritos. Muitos, a maioria que leio, me apresenta pesquisas, pessoas e conteúdo que eu levaria uma vida inteira para tomar conhecimento se não fosse este "advento informacional" maravilhoso. Pois bem, foi stalkeando a web dia desses que me deparei com um projeto extremamente sensível: dois estudantes saíram pelas ruas de Lisboa, em Portugal, com uma câmera perguntando aos moradores de rua quais eram seus sonhos não realizados. O resultado foi uma série fotográfica instigante.

 

A partir disso, fiquei pensando no que deixei pra trás. Quais eram os sonhos, que eu tinha quando criança, que deixaram de se realizar por falta de estímulo, de tempo, perseverança ou porque até os quatorze anos somos tão suscetíveis a ficar impressionados com qualquer coisa que acreditamos, piamente, que o céu é o limite - costumo dizer que a infância e a primeira fase da adolescência são os anos da anestesia que acontecem antes da vida de verdade nos invadir.

 

Deixei muita coisa guardada apenas na minha memória afetiva. Outras, acho, foram só adiadas pra daqui a uns anos ou pra outra existência neste planeta. Mas muitas, (in)felizmente, "deixaram de ser" quando cresci.

 

- Bailarina
- Dançarina
- Esposa antes dos 30
- Mãe antes dos 35
- Cantora de trio elétrico (ainda bem!)
- Poliglota
- Virgem
- Alienada
- Apegada
- "Quatro Olhos"
- Cheia de frescura
- Mochileira
- Atleta
- Rica
- Ingênua
- Xiita
- Legal com todo mundo

 

E você? O que "deixou de ser" quando cresceu?

Tudo a ver com

Câmeras no Submarino