Burning Man 2016: o dia
por Fernando Schlaepfer

23.09.2016

Burning Man dia

Essa foi a vez que passei mais tempo no Burning Man. O festival em si dura uma semana, mas ficamos praticamente duas: chegamos antes de começar oficialmente para participarmos da construção e saímos depois de terminar para ajudar a desmontar, organizar as doações, separar o lixo, enfim, nos certificar de que o espaço que ocupamos sumiria por completo.

 

É animal poder participar ainda mais ativamente – "ainda mais" porque a real é que estando lá, mesmo sem participar dessas etapas pré e pós, é praticamente impossível você ser apenas um expectador. São os próprios Burners que fazem o festival, literalmente: dos campings e vilas até os art cars e instalações, todos são radicalmente incluídos no processo – que somando com outros princípios como autoexpressão, desmercantilização e responsabilidade cívica, cada um se torna organicamente parte daquele time de quase 70 mil pessoas responsáveis pela construção da efêmera Black Rock City naquele período – e consequentemente por fazer a cidade desaparecer sem deixar rastros.

 

 

Acho que esse tempo que passei lá antes e depois dele começar e terminar também foram muito valiosos pra minha experiência nessa edição, não só por ter participado da construção e destruição da cidade, mas por não estar tão desesperado em ver tudo que tava acontecendo ao mesmo tempo durante aqueles dias, já que agora eu passaria mais do que o dobro de tempo em Black Rock City.

 

Lembro bem da linha tênue entre êxtase e angústia na primeira vez que participei do Burning Man, onde literalmente corria de um lado pra outro porque aqui tinha uma instalação incrível, mas ali tinha um monte de gente pulando no meio de uma tempestade de areia, só que lá também tava rolando o Robot Heart, enquanto meus amigos tava no Disco Knights no outro extremo e (...) – bom, seja por ter ficado dias a mais (ou por ter me libertado consideravelmente do maldito F.O.M.O.), o simples fato de conseguir estar presente no que você está vivendo sem se preocupar com as outras milhões de coisas acontecendo naquele exato momento pode ser uma tarefa ainda mais difícil quando você está em um lugar que gosta tanto, mas fui feliz em conseguir fazer as coisas mais simples – como deixar tudo que tava acontecendo de lado e sentar perto da fogueira pra esperar o Sol nascer (ok, e fazer um ou outro clique durante isso, mas essa parte eu nem tentei deixar de lado hehe).

 

 

Compartilhando aqui algumas das fotos que fiz durante esses dias enquanto termino de editar. Depois volto aqui com algumas das fotos dessas noites. :)

 

burning man 1

 

 

burning man 2

 

 

burning man 3

 

 

burning man 4

 

 

burning man 5

 

 

burning man 6

 

 

burning man 7

 

 

burning man 8

 

 

burning man 9

 

 

burning man 10

 

 

burning man 11

 

 

burning man 12

 

 

burning man-13

 

 

burning man 14

 

Tudo a ver com

Música no Submarino