Bienal do Livro São Paulo
por Fabiane Pereira

25.08.2016

Bienal SP

Permitam-me ser repetitiva neste texto? "Brigada!" (rs!)

 

As duas primeiras frases do primeiro post que assinei neste blog como colaboradora - meu primeiro post publicado no SONAR foi sobre o livro (veja que coincidência!!) Som&Pausa mas na ocasião eu ainda não era, oficialmente, colaboradora - foi: Um bom livro. Pensando melhor, vários bons livros dentro de ecobags espalhadas pela casa.

 

Sim, livros fazem parte da decoração da minha casa e do meu dia a dia. Como vocês veem por aqui, sempre tenho uma boa indicação de leitura e costumo andar com um ou dois livros na bolsa 'praquelas' horas vagas, cada vez mais frequentes (#thanksGod).

 

Ano passado, vocês devem se lembrar, mediei os bate-papos no estande do Submarino durante toda a Bienal do Livro no Rio e este ano estava ansiosa aguardando o convite deles para a mesma função. Eis que o convite chegou, eu aceitei e São Paulo será minha cidade pelos próximos dez dias.

 

Novamente vou mediar os bate-papos no estande que o Submarino vai promover durante a 24ª Bienal Internacional do Livro São Paulo entre os dias 26 de agosto e 4 de setembro. Minha maratona literária será composta de trinta e cinco entrevistas e quase cinquenta livros para ler em tempo recorde mas ser desafiada me move ainda mais quando o desafio tem total sinergia com os projetos pessoais.

 

Durante os dez dias de Bienal, publicaremos, aqui no Sonar, um post contando os melhores momentos das entrevistas, com declarações, trechos de entrevistas e fotos feitas no espaço Submarino.

 

A Bienal do Livro é o maior evento literário do país, um grande encontro que tem o livro como astro principal. Para o leitor, é a oportunidade de aproximação dos seus autores favoritos e de conhecer muitos outros. Durante onze dias, o Pavilhão do Anhembi vai ser palco de uma grande festa da cultura, da literatura e da educação. No estande do Submarino, o público poderá participar dos bate-papos descontraídos com personalidades e escritores como Thalita Rebouças, Márcia Tiburi, Clarice Freire, Pedro Gabriel, Afonso Solano, Raphael Montes e muitos outros.

 

No Brasil, crianças e adolescentes estão lendo cada vez menos. Isso é o que mostra a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pela Fundação Pró-Livro em parceria com o Ibope Inteligência.  Mas a intenção dos educadores e de todas as pessoas que trabalham direta e indiretamente com a leitura é fazer com que estes números sirvam de base para novas políticas públicas ensinando às crianças como o mundo da leitura é mágico e interessante.

 

Uma vez, o escritor Mário Quintana, por quem eu tenho uma profunda admiração, disse: "Os livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas".

 

Está mais do que na hora de mudarmos as pessoas. Até lá!

Tudo a ver com

Bienal no Submarino